fbpx

Olá bom dia!!!eu sou a “Léia” moro no interior de SP tenho 39 anos ,sofri com o vaginismo a 20 anos e achei q nunca iria vencer esse bloqueio,aos 19 anos tive o meu primeiro namorado,sempre sonhei q a primeira relação seria com uma pessoa especial,e quando realmente estava completamente envolvida resolvi perder a virgindade,foi tudo muito lindo ,com todo cuidado e carinho ,porém eu tremia e suava muito,e a relação simplesmente não aconteceu,tentamos por 3 meses e o pênis simplesmente não entrava e meu ex namorado, encontrou uma forma de sentir prazer sem me magoar,e sem ter a penetração completa,na vdd acho q não entrava nada é ele simplesmente chegava ao orgasmo,e ficamos assim por 1ano e meio,até q resolvemos terminar,e eu mudei de cidade…ate então eu já sabia q eu não era normal,no ginecologista ñ deixava ser examinada,mais enfim…tenter ter outros relacionamentos depois de uns anos,mais tinha pavor da relação sexual,,aos 23 anos ouvi falar sobre o vaginismo num programa de TV,dizendo se tratar de uma doença q não tinha cura,aos 25 anos comecei a fazer a terapia,o q me ajudou muito,a seguir minha vida,sem desencadear nenhum tipo de problema emocional ,como uma depressão ou qlqr outra síndrome…aos 30 anos já conseguia ter relação sexual porém não conseguia fazer nenhum tipo de exame,sentia fortes dores abdominais, procurei por todos os ginecologista da minha cidade, e cidade vizinhas e todos me trataram com indiferença, ou descaso,o tempo foi passando e eu não conseguia ter um relacionamento, pq como teria filhos?construiria família?realizaria exames preventivos?até q pesquisando na internet já com uns 35 anos comecei a vê depoimentos e cura p o vaginismo…cheguei a mandar uma mensagem p clínica da Dr Débora onde de imediato já tive um retorno por parte da recepcionista, mais não tive coragem de levar adiante,medo insegurança, não sabia o q me esperava do outro lado da clínica e acabei adiando por mais ou menos 2 anos,as dores continuava ,o tempo passava e eu ñ conseguia resolver ,aos 37 anos comecei a namorar,logo nos primeiros meses me abri com meu namorado,pedi p ele pesquisar na internet p entender melhor é ele me deu toda força p o tratamento…no final de 2019 entrei em contato em uma clínica em uma cidade vizinha,aonde na avaliação a fisioterapeuta se assustou com o fato de eu não realizar exames,e ñ me prometeu a cura é sim tratamento, aonde eu resolvi mais uma x mandar mensagem na clínica Débora de Pádua, e tive um retorno rápido,a clínica era mais longe,o valor um pouco mais caro,minha avaliação foi com a doutora Débora aonde me diagnosticou com vaginismo domoderado ao avançado, passando assim 15 sessões…o meu tratamento foi com a dr Cris,uma fisioterapeuta maravilhosa,q foi amiga,conselheira ,psicóloga e uma fisio com muita garra,pois eu me retórcia,nas primeiras sessões, ficava torta,tentava fechar as pernas ,e faltava escalar pelas paredes nos exames de toque,ela teve toda paciência do mundo,e vibrava comigo em cada sessão realizada com sucesso…elas foram super compreensiva nesse momento de pandemia,e na 9 sessão ela me liberou p os exames ginecológicos, foram todos realizados com sucesso…e na décima quinta sessão tive a tão sonhada alta,hj posso gritar p todos q o vaginismo tem cura sim,e somente agradecer a Deus, meu namorado q me acompanhou em todas as consultas ,me ajudou nos exercícios e teve toda paciência, a dr Debora q me recebeu com todo carinho do mundo,a minha psicóloga q foi muito importante p mim,Dr Rosi q cuidou de toda a área psicológica, e a dr Cris,q foi uma fisioterapeuta muito top…sem palavras p descrever o tamanho da felicidade por saber q hj eu sou uma mulher normal 👏👏👏

Agendamento

Deixe seus dados e entraremos em contato







    Local preferido de atendimento:

    Forma preferida de contato:

    Matriz - Clínica São Paulo

    Rua Borges Lagoa 913, 10º Andar – Sala 101 Vila Clementino – São Paulo, SP

    Expediente:
    Seg a Qui: 8h às 22h
    Sex: 8h às 21h
    Sábado: 8h às 18h

    © 2024 Clínica Débora Pádua - Todos os Direitos Reservados. Site com SEO Criação