Não acreditava que era possível me curar

Oi pessoal,

Hoje o relato comovente de uma paciente que acreditava não ser possível se livrar do Vaginismo. Foram tantas tentativas frustradas que ela passou a acreditar que ela era assim mesmo, que teria que conviver com o Vaginismo e que o melhor era se conformar. 😔

A todas vocês que estão lendo agora este depoimento quero dizer para não se conformarem! Digo a vocês que NENHUMA dor é normal! Vaginismo não é coisa da cabeça de ninguém! É uma disfunção séria que precisa de tratamento adequado.

Leiam e se inspirem! ❤️

black-and-white-3800874_1280

No início da minha vida sexual eu percebia que havia algo diferente pois eu não conseguia me relacionar como qualquer outra pessoa …Me sentia muito mal , sabia que havia algo de errado, porém não compreendia exatamente o quê. Conversava com amigas e acreditava que havia algo que me diferenciava das outras e que fazia com que minha autoestima permanecesse sempre baixa, afinal de contas sempre que fazia uma nova tentativa eu me decepcionava.

É como se eu estivesse tentando escalar uma montanha inatingível e às vezes isso mexia muito comigo, porém eu achava que jamais poderia me livrar dessa situação uma vez que acreditava ser algo psicológico, até que um dia resolvi procurar um psicólogo e fui desencorajada quando ouvi dele que isso era coisa da minha cabeça e que deveria fazer sessões de terapia.

Resolvi então procurar um outro profissional, fui até o ginecologista e coloquei ali todas as minhas expectativas, seria uma oportunidade de cura ou de alguma solução cabível … Porém foi ainda mais frustrante, além de não conseguir fazer o exame de toque, ainda saí de lá sem nenhuma solução para o meu problema e com mais um ponto de interrogação.

Agora não era só questão sexual e sim a questão de saúde, de não conseguir me cuidar e saber como eu estava, eu não consegui encontrar nenhuma solução.

Os relacionamentos eram cada vez piores, infelizmente a maioria dos homens não são compreensivos e não procuram entender causas que fazem a mulher recuar, por essa razão muitos se afastam… Pois é mais fácil encontrar uma outra pessoa, digamos sem nenhuma complicação do que ajudar alguém a encontrar saídas para o seu problema. Eu não contava isso a ninguém, pois sempre que tentava desabafar com uma amiga e introduzir o assunto elas riam e achavam aquilo um absurdo, achava que era uma certa frescura, então eu me fechava em meu mundo solitário e triste não havia nenhuma saída para minha situação.

Passei um tempo sozinha … Depois de perder relacionamentos e noivado comecei a achar que pudesse ser as pessoas que me relacionei que tinham algum problema e que eu deveria conhecer uma pessoa nova, porém ao encontrar uma pessoa muito legal e muito especial tive a decepção de mais uma vez não conseguir me relacionar sexualmente com penetração e ouvi dessa pessoa que aquilo ocorria porque não era mulher suficiente, não era uma mulher completa, vi mais uma pessoa se afastar e cada vez um buraco maior surgia em minha frente e nenhuma solução…

Passava longos períodos de dor e lágrimas, fazia muitas preces com muita fé, me envolvia cada vez mais na religiosidade acreditando que isso teria um fim e me auxiliaria no problema, mas nada resolvia essa tremenda dor.

Foi muito difícil escrever esse depoimento e não chorar diversas vezes, na verdade escrevi diversas vezes e deletei, a tristeza da lembrança da dor é muito desencorajadora, mas já acreditando que poderia ajudar outras pessoas nesse mesmo dilema, resolvi falar sobre a minha situação.

Para mim o vaginismo sempre foi um mito, cresci em um lar onde as pessoas nem sequer falavam de sexo e onde eu nunca pude revelar o que me ocorria, me via cercada por um muro infinito e intransponível da dúvida, da dor, da lágrima e sem nenhuma ajuda, sem saber o que fazer…

Enfim, depois de muito tempo resolvi tentar novamente, dar uma chance a mim mesma e encontrei uma pessoa especial que me tratava de forma diferente e que parecia compreender fatos como a questão da relação com penetração para mim era impossível sentia sempre como se estivesse sendo abusada , os gemidos eram apenas de dor… Externamente a sensação era boa, mas a penetração era assustadora e aterrorizante pois me remetia a uma imensa dor.

Após inúmeras tentativas frustradas, eu acreditei que eu era assim mesmo, que isso era uma coisa da minha vida, que eu havia nascido assim e passei a me conformar com isso . O meu parceiro no início tentou me ajudar de algumas formas e se mostrou paciente em relação a isso, mas com o passar dos anos automaticamente ele começou a se incomodar, o que era bem normal , via que eu não conseguia me tratar e sentiu muito medo de levar o relacionamento adiante e passar o resto da vida sem poder ter relações sexuais normais. Próximo do período que achei que fosse me casar eu tive uma imensa surpresa com a declaração dele de que não levaria adiante o relacionamento daquela maneira e simplesmente me deixou. Meu mundo caiu um buraco se abriu a minha frente de tristezas e angústias, pois sabia que de fato aquela situação estava insustentável.

Eu sabia que tinha algo de errado mas achava que com tempo iria desaparecer porém agora tinha a certeza absoluta de que a situação precisava ser resolvida ou ficaria sempre na mesma, conheceria alguém legal e iria me sentir insegura esperando apenas a pessoa descobrir o meu problema e ir embora.

Com a autoestima muito baixo e muito triste resolvi enfim procurar ajuda, pois apesar do meu relacionamento não estar totalmente definido em termos de término já que havíamos nos afastado, eu tinha expectativa de retomada. porém sem nenhuma certeza, resolvi me cuidar por mim!

Eu já tinha ouvido falar sobre o vaginismo então resolvi buscar na internet locais que poderiam me auxiliar e me ajudar nessa busca que para mim era impossível, mas eu precisava fazer algo e próximo a minha residência não existe nenhum local específico para o cuidado do vaginismo e alguns ginecologista indicam essa possibilidade para os pacientes o que dificulta ainda mais. Cheguei a fazer um tratamento psicológico várias sessões por conta desse problema e fui orientada a tentar organizar as minhas ideias, pois isso tudo era coisa da minha mente, o que prejudicou ainda mais o meu tratamento uma vez que eu acreditava que não existia a cura para aquela situação…

Buscando na internet eu encontrei a clínica da doutora Débora Pádua. Resolvi ir atrás para descobrir algo sobre o tratamento. Na minha primeira ligação senti muita vergonha e não sabia nem como falar que queria agendar para ver o que eu tinha , mas surpreendentemente fui muito bem recepcionada por que me atendeu que me deu orientações e não ficou fazendo perguntas.

Com a devida orientação agendei um dia para ir até a clínica, mesmo morando muito longe ,no dia marcado eu cheguei a clínica ,senti vergonha até de entrar da sala , mas fui muito bem encorajada e bem recepcionada ao falar com a doutora e passar pela avaliação! Eu senti que pela primeira vez que alguém entendia o que eu estava passando, isso me deu uma segurança de fazer esse tratamento.

Antes de iniciar parece que surgem todos os obstáculos financeiros, distância, medo, mas o meu maior obstáculo era acreditar que era possível me curar de algo tão sério para mim e que mexia com tantos pontos da minha vida.

Na primeira sessão fui conduzida a Dra. Rose Fraga, eu estava insegura e sinceramente não acreditando que nada daquilo faria efeito para mim. Mas eu dizia para mim mesma ainda que nem funciona eu faria por mim! No primeiro momento percebi que todos que trabalham ali são muito afetuosos e atenciosos, desde a pessoa que organizava o local e me ofereceu um café, até a doutora que me atendeu…Sem dúvida isso foi essencial para o meu tratamento.

Ao iniciar as sessões as coisas pareciam sem sentido para mim… A forma em que tudo ocorria parecia sem sentido até então, a atenção da Dra. Rose , seu sorriso e generosa recepção, foi essencial em meu tratamento, fazia eu me sentir segura e confiante, aos poucos fui compreendendo o tratamento e a cada sessão algo extraordinário ocorria, eu sempre tinha avanços, e após algum tempo , já percebia a minha melhora, as vezes parava o carro para chorar, pois não acreditava no que estava ocorrendo.

Sessões se passavam e mais novidades vinham, esperava ansiosamente por mais um dia ali, porque cada vez estava mais próxima de minha cura…Até que finalmente eu fui liberada para a relação, que ainda me remetia ao medo e desconforto da sensação de fracasso. Enfim chegou o dia e fui fazer a tentativa da relação sem dor, como que em um sonho, ela ocorreu de forma natural, normal, nada de dor!

Precisei fazer outras tentativas para crer que aquilo era real, inexplicavelmente a cura aconteceu, um milagre para mim, eu que não conseguia fazer exames ginecológicos, usar absorventes internos e ter relações completas, agora me sentia liberta… A mistura de sensações era intensa e ainda estou vivendo como que em um sonho lindo que jamais quero acordar…

Fui a ginecologista para enfim, fazer a minha tão sonhada consulta, um misto de sentimentos vinham em minha mente, mas fui surpreendida ao conseguir fazer o exame e ainda sem ter dor!

Eu quero relatar que nenhum dinheiro que possa ter ou adquirir em minha vida pagaria isso, pagaria esse sentimento de LIBERTAÇÃO, me sinto mulher, como as outras e a gratidão inunda meu coração.

Agradeço a Clínica Débora Pádua por levar um tratamento tão especial a tantas mulheres que estão desencorajadas em seus mundos, assim como eu estava, agradeço o carinho da Dra. Rose Fraga, que é um ser humano especial, ao qual tive o imenso prazer de conviver, jamais poderei explicar a sua importância em minha vida! Estará sempre em minha mente e coração, fará sempre parte de minha história…

Hoje posso dizer que tenho uma vida sexual normal, feliz e prazerosa. Entendo que infelizmente a única pessoa que nos limita a vencer, somos nós mesmos, nosso medos e nossas dúvidas… Por simplesmente não tentar, adiar é o pior erro, nossa vida é prioridade e se tratar não pode ser adiado!
😔 ❤️

O que é Vaginismo – Sintomas, Causas, Diagnóstico e Tratamento

Saiba +

Vídeos - Conheça mais sobre Vaginismo e Dor na Relação

Saiba +