Livre do Vaginismo em 1 mês e 17 dias!

Olá pessoal,

Hoje compartilho a história deste casal de Mato Grosso que se casou virgem. Na lua de mel tiveram uma surpresa desagradável! 😩 A primeira vez parecia impossível e a cada nova tentativa era uma frustração! Eles buscaram informações, chegaram no diagnóstico do Vaginismo e nos encontraram! Com a ajuda da família o casal foi incentivado a vir para São Paulo para realizar o tratamento! Parecia impossível, mas eles se planejaram e vieram para São Paulo realizar o tratamento em nossa Clínica!!! Foram 15 sessões em exatamente 1 mês e 17 dias!!! Agora ela recebe alta e o casal está de malas prontas para voltar para o Mato Grosso sem o Vaginismo em suas vidas!!! 💑

Parabéns ao casal pela determinação!!! 👋  Fica o nosso agradecimento pela confiança em nossa Clínica!

Agradeço também o trabalho realizado pela Dra Daniele! 😘

sky-2601156_1280

Graças a Deus, agora é minha vez de dar meu depoimento, nem caiu a ficha direito, esperei muito por esse momento!

Tenho 19 anos, moro no Mato Grosso, sou casada a 1 ano e eu e meu esposo somos evangélicos desde criança e como seguimos uma doutrina, nos casamos virgens.

Estávamos ansiosos e também com um pouco de medo para o nosso grande dia, com bastante expectativa, nossa festa foi linda, e logo depois nossa lua de mel, o que não foi assim tão boa quanto esperávamos. Meu esposo desde o começo mostrou bastante paciência comigo, tive muitas dores na tentativa de penetração, mas mesmo assim tentamos bastante, por várias horas, mas nada aconteceu, só dores e a sensação de que algo estava me rasgando. Naquela noite não conseguimos dormir direito, ficamos pensando muito sobre, mas ainda não nos preocupamos tanto porque já tínhamos ouvido falar que algumas mulheres poderia demorar alguns dias para perder a virgindade, sentindo dores ou não. Pensando assim ficamos mais tranquilos e todas as noites nós tentávamos a penetração, mas nunca conseguimos.

Com o passar dos dias íamos ficando muito preocupados e confusos, eu só sentia dores e uma sensação de “parede”, parece que nada, nunca iria entrar naquele lugarzinho tão dolorido. Eu até ficava excitada mas quando sentia as dores já parava com tudo. Graças a Deus meu marido nunca me pressionou e nunca falou coisas pra me machucar ou me deixar triste, sempre com muita paciência, mas mesmo assim passei muitas noites chorando, por não me sentir mulher direito, não conseguir agradar meu esposo, parecia que eu era uma mulher anormal, ficava com muita raiva de mim mesma.

Com 1 mês de casada resolvi contar pra minha mãe, ela sempre perguntava se estava tudo bem comigo, ela já via no meu semblante que alguma coisa estava errada. Quando contei ela ficou bem triste, preocupada e também sem saber o que fazer pois nunca tinha visto falar de coisa parecida. Então ela decidiu que tínhamos que ir há um ginecologista e assim fiz. Ela me acompanhou e quando o doutor me atendeu, pediu que eu contasse o que estava acontecendo, e comecei a explicar tudo, chorava muito contando minha história. Quando terminei de contar ele me falou que poderia ser vulvodínia ou vaginismo, eu nunca tinha ouvido falar, assim ele me examinou e tentou fazer o toque com o dedo e viu que não ia, eu reclamava muito de dor, ele ainda perguntou se eu nunca tinha sido abusada ou coisa parecida, e eu disse que não, que tinha me casado virgem, com isso ele ficou sem palavras e disse que já tinha lidado com uma paciente assim , mas não era tão grave quanto eu. Pedi muito para ele me ajudar, pois amava muito meu esposo e não sabia o que fazer. Assim ele me passou alguns exercícios como tomar vinho a noite, passar pomada, usar lubrificantes, tomar sol todos os dias e ainda passou até um remédio antidepressivo, ao terminar a consulta eu fiquei preocupada mas ao mesmo tempo aliviada de que havia um motivo, e que nada era uma “frescura” da minha cabeça.

Fiz tudo como ele me pediu e nada adiantou, depois de 30 dias retornei no ginecologista ainda mais preocupada, foi quando ele também ficou preocupado e sem saber o que falar, ele conhecia os problemas mas não sabia como tratar e nem mesmo para quem me indicar e antes de sair do consultório ele me falou: “Eu sei que você vai conseguir resolver isso, pensa que um dia você vai poder ajudar muitas pessoas”, fiquei meio sem entender e sai dali arrasada sem saber o que fazer, foi quando começamos a procurar vídeos na internet que falavam sobre vaginismo, vi muitos vídeos e vi que não era tão fácil de lidar, foi quando resolvi ir em outro ginecologista, esse também já tinha ouvido falar sobre e sabia que era com fisioterapia que resolvia, mas não sabia quem indicar.

Com o passar dos meses, fui ficando cada vez mais preocupada, pois eu nunca imaginava que iria ter algum problema assim, até que um dia minha mãe encontrou vários vídeos da Dra Debora Pádua e também um depoimento de uma paciente que estava curada. Assim começamos a procurar sobre o tratamento mas quando vi que era em são Paulo, 2.000 km da minha cidade eu desanimei. Achei impossível conseguir ir, até entrei em contato com a clínica, para saber sobre os valores e tudo, mas desisti e resolvi esquecer de procurar um tratamento. Foi passando os dias e as coisas só pioravam, até que um dia nossa família, muito preocupados, nos ajudaram e começaram a nos incentivar a tentar começar o tratamento, mas eu sempre pensava que seria impossível sair de tão longe, quanto tempo iriamos precisar ficar, o gasto não seria pouco, e ainda o medo de ir e voltar do mesmo jeito. Foi quando comecei a ler muitos depoimentos de mulheres que tiveram vaginismo e passaram pela clínica, me identifiquei muito com vários depoimentos e comecei a me encorajar para ir fazer o tratamento, afinal amava e amo muito meu marido e não poderia ficar assim a vida inteira, eu precisava melhorar para ficar bem comigo mesma. Então em novembro entrei em contato de novo com a clínica, marquei uma consulta, compramos as passagens para o dia 09 de janeiro de 2019, estava muito ansiosa para ir, ainda com medo.

Até que chegou o dia de conhecer a clínica, eu e meu esposo fomos muito bem recebidos pelas secretárias, pela Dra Debora Pádua, um amor de pessoa, muito engraçada, nossa primeira consulta foi ótima, ela tirou todo o meu medo, disse que eu era super normal e que o vaginismo era apenas uma disfunção. Ela me avaliou e disse que meu caso era moderado e eu teria que fazer 15 sessões, 3 sessões por semana e que com certeza eu iria sair dali curada.

Comecei o tratamento com a Dra Daniele Moreira, muito amorosa, me tratou com o maior carinho e amor, não sei nem como agradecer, nos demos muito bem, sempre me aconselhava e me ensinava várias coisas durante as sessões, me passou todos os exercícios para fazer em casa, me dediquei muito e ao decorrer das sessões eu me animava muito, estava vendo como o tratamento estava tendo resultado, até ela sempre me dizia que eu estava indo muito bem, melhor ainda do que ela esperava.

Já tinha feito várias sessões até que chegou o dia de passar por uma ginecologista que conhecia sobre o vaginismo, consegui fazer todos os exames muito bem, a ginecologista até admirou e falou: “eu não te conheci antes de você fazer o tratamento, mas parece que você nunca teve vaginismo, você foi muito bem”, ah quando escutei essas palavras fiquei muito feliz. Depois disso, na 13ª sessão a Dra Dani nos liberou para ter relações. Fiquei bem preocupada, o medo de não conseguir ainda existia, demoramos 3 dias para tomar coragem até que foi e não sei pra que tanto medo kkk foi super tranquilo e maravilhoso, sem dores, nossa nem acreditei na hora.

Completamos 1 ano de casados durante o tratamento e ai sim fomos ter uma lua de mel completa kkk. Quase 2 meses em São Paulo, quero primeiramente agradecer a Deus por eu ter ido lá no começo, em um médico que já me passou o nome da minha disfunção, foi ali que comecei a procurar o tratamento, mesmo ele sem saber como me ajudou muito, me fez encontrar a clínica. E em segundo, muito obrigada a Dra Debora Pádua e toda sua equipe, hoje estou curada, tenho uma vida normal, prazerosa, tenho relações sem dor, sou muito feliz e completa, não parece que um dia tive vaginismo, não sei como agradecer todos vocês, só Deus para recompensá-las por tudo, vocês transformam a vida de muitas mulheres para melhor, parabéns a todas vocês! A maneira de vocês nos tratarem desde o início é fundamental, quanto amor e carinho vocês têm por nós e pelo que vocês fazem, foi o que me deixou muito contente e tranquila, muito obrigada mesmo, amei conhecer vocês, estarão para sempre no meu coração.

Hoje faz sentindo o que aquele ginecologista me falou, que eu poderia ajudar muitas pessoas, e quero mesmo ajudar vocês mulheres que estão passando por isso, acreditem, o vaginismo tem tratamento e tem cura sim, não fiquem sofrendo sendo que tudo pode melhorar, não deixem que o medo de tentar impeça as coisas de melhorarem, eu sou prova disso, fiquei com medo de tentar e isso só prolongou meu sofrimento, mas graças a Deus depois tentei e comecei o tratamento e deu tudo certo.

Não tenho vergonha e nem raiva de nada que aconteceu, muito pelo contrário, tenho orgulho de saber que passei por isso e não deixei minha cabeça baixa, consegui vencer graças a Deus, meu esposo, minha família e a toda equipe da Dra Debora Pádua, essa foi e sempre vai ser uma experiência que vou levar para minha vida inteira, a fé, acreditar que tudo pode melhorar e ficar ótimo! Um beijo a todas vocês!!!!

O que é Vaginismo – Sintomas, Causas, Diagnóstico e Tratamento

Saiba +

Vídeos - Conheça mais sobre Vaginismo e Dor na Relação

Saiba +