Relutei para iniciar o tratamento

Olá pessoal,

Hoje a história deste casal de jovens que se casaram virgens e na 1ª relação descobriram o Vaginismo. Imediatamente (mesmo! Na Lua de Mel!) eles buscaram informações e em pouco tempo agendaram uma avaliação na nossa clínica porém ela decidiu não iniciar o tratamento. Vejo bastante na clínica casais que após receberem o diagnóstico da disfunção, precisam de um tempo para processar as informações e aceitarem que trata-se  de uma condição que requer tratamento especializado.

O mais importante é respeitar este momento e dar início ao tratamento quando se sentirem preparados.😊 Eu e minha equipe estamos prontas para auxiliar neste processo! ❤

woman-918896_1280_opt

Olá! Tenho 25 anos e me casei em 2016 (na época tinha 23 anos),  fui criada na igreja e me casei virgem, com mil expectativas e sonhando com a primeira noite acreditando que seria mágico! Na primeira tentativa de relação não consegui absolutamente nada de penetração e naquela primeira noite mesmo me vi por terra com a situação. Viajamos para a lua de mel e na viagem  nós começamos a pesquisar e vimos o site da Débora Pádua, eu e meu esposo lemos os depoimentos e tudo batia, marquei a avaliação dois meses depois e foram indicadas as sessões, maaaas na minha cabeça se passaram mil coisas e como disse a Dani, não era o meu momento, não iniciei o tratamento, sofri bastante para aceitar tudo aquilo (sempre mantive relações externas e que foram fundamentais para conhecer o meu corpo e saber o que podia me trazer prazer), mas eu pensava todos os dias no vaginismo e me afetava demais, não só na relação mas por não poder fazer exames e pelo medo de dor mesmo.

Os meses passaram e no fim de 2017 comecei a pesar todas as coisas, e ainda não aceitava de fato que isso tudo só passaria com o tratamento, relutei muito pois achei que não ia funcionar, marquei várias vezes a avaliação (teria que passar pela avaliação novamente) e fiquei assim, marcando, faltando, marcando e faltando até que um dia decidi que era o momento de ir, preciso ressaltar a importância do meu esposo que sofreu ao meu lado, passou por tudo me apoiando e respeitando o momento certo.

Fiz a avaliação e no dia da avaliação foram indicadas 15 sessões, no mesmo dia agendei todas e apesar do receio, o medo eu decidi que estava na hora e que não era só para melhorar a relação, era por mim. Fiz o tratamento com a Dani Moreira e sério, não poderia ter escolhido melhor! Atenciosa, descontraída e muito competente (muito mesmo), desde as primeiras sessões eu senti as diferenças e é impressionante a evolução de algo que até então parecia um bicho de sete cabeças. Meu marido me acompanhou em várias (a maioria) das sessões e isso também foi de suma importância, me deu forças, me apoiou, passou por tudo ao meu lado com paciência e compreensão e ajudou e muito em nossa relação, e a Dani claro sempre nos esclareceu as dúvidas!

Por fim, agradeço por finalmente ter recebido a sonhada alta pois sem o tratamento e o apoio (acreditem, as sessões não mudam só o vaginismo, muda a cabeça, nos dá segurança e confiança), eu não estaria comemorando, curtindo meu casamento, cuidando melhor da minha saúde e me sentindo muuuuito mais segura. Respeitem o momento, entendam que o vaginismo existe mas busquem o tratamento, procurem a Clínica Débora Pádua pois o vaginismo é tratado com seriedade mas acima de tudo são muito humanas.

Obrigada!

O que é Vaginismo – Sintomas, Causas, Diagnóstico e Tratamento

Saiba +

Vídeos - Conheça mais sobre Vaginismo e Dor na Relação

Saiba +