“Achava que era a única mulher no mundo que sofria com Vaginismo”!

E hoje é dia de compartilhar o relato de mais uma paciente que recebeu alta!😄🎉 Ela sofreu por 10 anos com Vaginismo e sem diagnóstico acreditava que era a única mulher do mundo que passava por isso! Infelizmente este problema é mais comum do que se imagina! Estudos mostram que 18% das mulheres sentem dor na hora da relação! A boa notícia é que tem tratamento!👍

Leiam esta história linda!!! ❤️

A minha paciente desejo toda a felicidade do mundo! E digo que o meu desejo também é que o VAGINISMO e a DISPAREUNIA sejam assuntos cada vez mais conhecidos! Que mais mulheres que sofrem com esta disfunção busquem ajuda!

Depoimento 10jul

É com grande entusiasmo que venho dar meu depoimento…

Tenho 29 anos, sou católica e moro no interior de São Paulo, considero que venho de uma família dentro dos parâmetros tradicionais.
Tentei ter minha primeira relação aos 19 anos, depois de algumas tentativas e nada de penetração, ainda considerei que era normal, pelo fato de ser a primeira vez. Mas como cheguei a sentir uma dorzinha, então resolvi marcar uma ginecologista para verificar se houve ou não rompimento do hímen… Depois da avaliação, ela disse que teve um pequeno corte, que ele era complacente e por isso teria dificuldade, mas era só relaxar.
Aos 21 anos comecei a namorar com o meu atual marido, a primeira relação também não deu certo e daí por diante toda tentativa era frustrada. A sensação sempre era a mesma, parecia que não tinha como o pênis entrar, que havia uma barreira ou algo do tipo. O tempo vai passando e quando nos damos conta, os dias se passaram e os anos também, as relações vão diminuindo e a cada nova tentativa já se tinha em mente que seria apenas uma.

Aos 26 anos, me casei… Como sempre idealizei que a minha primeira vez fosse perfeita, achei que o psicológico seria o motivo de não ter dado certo, já que eu queria que fosse com um homem especial, ninguém melhor que o meu marido para realizar o meu sonho, na lua-de-mel. Então a esperança se renovou, porém as frustrações também, nada de penetração! Marquei uma consulta com outra ginecologista e tive que passar pelo constrangimento de ser casada e virgem, para o espanto da mesma, que nem soube me diagnosticar e demonstrou estar inconformada como isso seria possível. Só chorava!

Estava sem rumo, não tinha nem um diagnóstico para encontrar uma solução, fazia pesquisas e mais pesquisas e não encontrava respostas, estava completamente sem expectativa, acreditava que eu era a única mulher do mundo que passava por isso, nem podia desabafar com alguém além do meu marido, o qual sempre esteve ao meu lado, me dando todo o apoio e amor.

Certo dia, deslizando a barra de rolagem do Facebook, me deparo com uma publicação do Drº Drauzio Varella (página que já havia curtido) de uma matéria sobre VAGINISMO, tema que me chamou atenção, então resolvi abrir o link para ler o conteúdo. Me identifiquei completamente com o assunto, então finalmente tive um “norte” para as minhas pesquisas… Achei diversas matérias e foi aí que cheguei à Drª. Débora Pádua, vi diversos vídeos falando sobre essa disfunção, sobre o tratamento, enfim…
Fiquei toda animada, mostrei para o meu marido, ele também ficou muito feliz.
Descobri que era a 1ª Clínica no Brasil Especializada no Tratamento de Vaginismo e Dor na Relação, li vários depoimentos, já estava determinada onde iria me tratar, independentemente se tivesse algum profissional próximo.

Mas os dias foram se passando, eu só ficava nas pesquisas e nesse período surgiu uma pontinha de esperança em conseguir ter a penetração sem tratamento. Devido ao tempo e gastos de ter que ir pra Capital, acabei adiando.
Em setembro de 2017, tivemos férias e tempo para novas tentativas, mas sem nenhum avanço. Então cansada de conviver com esse problema, conversei com meu marido e já resolvemos marcar minha primeira consulta de avaliação.
Fomos recebidos muito bem pela Drª Débora, parecia um sonho estar de frente com a profissional dos diversos vídeos que tinha visto.
Conversamos bastante, ela me deixou muito confortável e fez a avaliação com todo cuidado, apesar da vergonha e do nervosismo, fiquei perplexa dela ter conseguido introduzir um dedo, até então meu maior avanço. Realmente fui diagnosticada com Vaginismo, disse que meu caso era moderado e eu teria que fazer 15 sessões, ela explicou como funcionava todo o tratamento e no momento parece que você não vai conseguir acompanhar todo o andamento.

Fiz questão em optar em fazer o tratamento com a Drª. Débora Pádua, tive que ajustar meus horários no serviço para que isso fosse possível, e deu certo! Fui certinho nas sessões, fiz todos os exercícios em casa conforme recomendado (fundamental), meus avanços eram notórios e a cada sessão eu saia espantada, não acreditando no meu avanço.
Digo que a Drª Débora é a profissional mais versátil que já encontrei, me acolheu como uma mãe, foi amiga, foi psicóloga, foi fisioterapeuta, foi sexóloga e até foi “ginecologista”, me ensinou tanto, aprendi a conhecer meu corpo e meus limites, me dava suporte até via Whatsapp.

Na reta final, me liberou para fazer o exame de preventivo, foi tão simples… Então chegou o dia mais esperado, o dia que fui liberada para ter relação… Só posso dizer que foi do jeito que sempre sonhei, tudo fluiu da melhor maneira possível, não dava para acreditar, até chorei de emoção! No dia seguinte não via a hora de poder mandar mensagem a ela dizendo que tinha dado certo e com muita animação ela comemorou minha conquista.
Na 13ª sessão, com chances de ser a última, meu marido fez questão de ir junto e agradecer pessoalmente. Conversamos bastante, ela fez todas as recomendações e aconselhamentos, a comparação da primeira consulta, e após me avaliar disse “você não tem vaginismo e está de alta”, a emoção tomou conta, essa frase vai ficar marcada em mim.
Só tenho que agradecer imensamente a Clínica Débora Pádua, sei que todos os profissionais são muito bem preparados e capacitados para tratar essa disfunção.

A Drª. Débora, não tenho palavras para expressar tudo que você representa em minha vida… Muito obrigada, por me fazer sentir uma mulher completa, por aumentar minha autoestima, por permitir que o meu amor chegue ao ápice. Que o nosso laço se transforme em amizade!
Ao meu marido… Que foi meu cumplice, meu parceiro e sei que posso contar com você sempre, sei que é o amor que nos une!

A Deus, sem Ele não teria dado esse depoimento!

Espero que VAGINISMO e DISPAREUNIA sejam assuntos cada vez mais conhecidos, me deparei com o problema e tive a cura em um período de 10 anos, mas tem mulheres que nem descobrem, que não se tornam mães devido a profissionais mal capacitados.
Desejo que as mulheres que estão lendo e se identificando com essa disfunção, não percam tempo, não se iludam que uma hora vão conseguir ter relação sem tratamento, o sexo vai além da penetração, precisa ser sem dor e com prazer.

A clínica Débora Pádua vai tornar o que até então parecia impossível, real!

O que é Vaginismo – Sintomas, Causas, Diagnóstico e Tratamento

Saiba +

Vídeos - Conheça mais sobre Vaginismo e Dor na Relação

Saiba +