A Dor que começou frustando a Lua de Mel agora é passado depois do Tratamento


Boa tarde pessoal! Hoje temos mais um caso que a dor na relação atrapalhou a Lua de Mel. Em seu depoimento ela nos conta como quase desistiu do tratamento, porém com o apoio do seu marido , continuou o mesmo e hoje está recebendo alta para uma vida sexual normal.

Muitas vezes quando liberamos para a relação durante o tratamento, a empolgação e ansiedade é tanta que acaba frustando um pouco aquele momento tão esperado. Temos pacientes que conseguem e voltam dizendo, “mas é só isso ?” rssss. Sim, em alguns casos a paciente fantasia tanto que vai chegar ao êxtase no momento que conseguir a penetração total que quando consegue não é capaz de aproveitar aquele momento.

A vida sexual é algo gostoso de se descobrir, o prazer , o êxtase vem como tempo, se conhecendo, sabendo o que gosta, como gosta, e quando gosta.

O que não pode acontecer é a Dor impedir esse processo de exploração, de conhecimento e de prazer. Portanto, se esse for o seu caso, procure ajuda especializada estamos aqui para ajuda-la! 

À minha paciente, sejam felizes !!! ❤️ Que a vida sexual de vocês agora sem dor, só melhore!!! 

E a Dra Daniele, parabéns! Sempre em frente, nunca desistindo! ✊

Obrigada e boa semana!

Lua de Mel Frustada Vaginismo

Meu nome é Jessica e atualmente tenho 7 meses de casado.

Meu marido e eu casamos virgens e desde a nossa lua de mel que sentia muitas dores na relação sexual, sentia muita queimação e como se minha vagina estivesse fechando, por muitas vezes eu chorava e chorava por não conseguir ter uma relação completa com meu marido, as vezes entrava apenas a cabecinha do pênis e isso já causava uma dor enorme. Eu achava que isso não era normal e então comecei a procurar na internet, vi muitos sites e pessoas falando a respeito de vaginismo e comecei a me identificar com os sintomas, marquei consulta com a ginecologista e a mesma após olhar minha vagina disse que não tinha nenhum problema entretanto como eu ainda não havia tido efetivamente nenhuma relação sexual não poderia examinar a fundo mas que aparentemente estava tudo bem, citou que poderia ser vaginismo mais que não conseguia diagnosticar, pediu que a gente tivesse calma e abusasse do lubrificante.

Vaginismo…já tinha por muitas vezes lido na internet e depois do que ela disse intensifiquei minhas buscas até que encontrei o site da Dra. Debora Pádua, imediatamente liguei e pedi informações onde explicaram que primeiro era necessário passar por uma avaliação.

Conversei com meu marido, que nesse tempo todo sempre foi muito compreensivo e nunca me pressionou, marcamos então a avaliação com a Dra. Débora, nessa época estávamos com 4 meses de casado.

A avaliação foi ótima, muito simpática a doutora me examinou e explicou que meu hímen já estava parcialmente rompido e como eu tinha pouco tempo de casado talvez na verdade o que precisássemos era de algumas orientações e que meu caso não era tão grave e que de início precisaria apenas de 5 seções.

E lá fomos nós… a responsável pelo meu atendimento foi a Dra. Daniele Moreira, uma ótima pessoa e fisio, me deixou super a vontade, nos deu várias dicas e orientações e tudo que tínhamos dúvidas nos explicava.

Fiz alguns exercícios que ela passou para fazer em casa, alguns bem doloridos inclusive, rs…mas tudo tinha um objetivo. Até que um dia fomos liberados para tentativa de penetração, pois desde a avaliação até por volta da 3ª seção não estávamos mais tentando a penetração pois era preciso tirar de minha mente a memória da dor.

Estávamos super empolgados e coloquei todas as minhas expectativas até que…o esperado não aconteceu…voltei a sentir dor e toda a frustração voltou novamente, eu estava empenhando meu tempo e dinheiro no tratamento que aparentemente não estava dando certo, fiquei muito mal e decepcionada, pensei em desistir, mas nessa hora o apoio do meu marido foi primordial, ele não deixou eu desistir e convenceu-me a continuar com as seções que restavam.

Na próxima seção que foi nossa 4ª (se não falha a memória) eu estava super desanimada, contei para Dra. Daniele o que tinha acontecido e ela com toda calma foi conversando e disse que poderíamos então pegar mais “pesado” no tratamento visto que naquele mesmo dia estávamos completando 6 meses de casados e já era possível fechar um diagnóstico de vaginismo.

Fechei mais 3 seções e começamos então o tratamento efetivo para vaginismo, comecei a usar eletrodo interno, massagens doloridíssimas e outras coisas, e mais uma vez fomos liberados para tentativa de penetração.

Só que dessa vez foi totalmente diferente, com ajuda do bom e velho lubrificante conseguimos a nossa tão esperada penetração, a primeira fomos apenas até a metade do pênis, mas mesmo assim foi um grande avanço, ficamos muito feliz, nas próximas tentativas conseguimos total penetração.

Hoje já não sinto mais dor ou queimação, mesmo assim continuo seguindo as dicas da Dra. Daniele, dou graças a Deus por te encontrado a clínica e feito o tratamento foi algo que fez muita diferença em minha vida e casamento.