Nunca é tarde para ser feliz, livre da dor na relação


Olá pessoal! Que tal começar a semana com um lindo depoimento de uma paciente que passou por dificuldades que poucas de nós aguentaríamos e nunca desistiu de ser feliz?

Infelizmente muitas mulheres perdem seus parceiros ou acabam descobrindo traições, indiretamente por conta da Dor na Relação. Mas tudo na vida é uma lição, e tenho certeza que se esse for seu caso tem algo muito melhor para você ali “virando a esquina”.

A primeira coisa é cuidar de si própria, procurar ajuda não por conta do parceiro e sim por você! Afinal sexo é importante para você em primeiro lugar, certo? Se curta, se conheça, e deixe a vida acontecer. 

Estamos aqui para ajuda-la a superar esse problema tão comum porém tão pouco divulgado por questões íntimas, de privacidade. Pode te certeza que você não está sozinha.

E a minha Paciente, parabéns Querida você nunca desistiu de ser feliz , procurou ajuda depois de passar por dificuldades enormes, e agora está Vivendo, com V maiúsculo ! Eu que agradeço pela oportunidade que você me deu.

A Dra Daniele, essa equipe mostra sempre capaz de transformar a vida das mulheres! Parabéns.

Um beijo e boa semana!

Tentarei resumir minha história: hoje tenho 50 anos. Casei-me aos 21 anos em dezembro/1987 e fiquei casada até abril/2005, somando 18 anos sem conseguir ter uma relação sexual completa com meu marido. Sentia muito medo e pavor e não me sentia confortável; parecia haver uma parede de concreto entre nós.

ao longo dos anos passei por alguns exames ginecológicos mas sem progresso. Me encaminhavam para psicólogos, psiquiatras e etc. E eu sabia que o caminho não era esse.

Quando estávamos casados ele me apoiava muito para procurar ajuda, mas não me acompanhava, me sentia sozinha.

Procurei por vários tipos de ajuda, mas quero ressaltar que não haviam terapias focadas no assunto na época; e  assim fui perdendo as esperanças.

Nossa separação se deu por eu ter descoberto várias traições por parte dele, inclusive com dois filhos fora do casamento. Uma situação dolorosa, mas enfim tive que passar por isso. Estava com 39 anos.

O tempo foi passando e eu continuei com a minha busca.

Nesse intervalo me envolvi com um amigo da época de escola, mas era difícil pelo mesmo motivo e por isso nos separamos também. Hoje somos amigos.

No decorrer da vida conheci outra pessoa que foi super importante pra mim e me ofereceu ajuda. Tive  o apoio necessário para seguir em frente.

No primeiro contato para agendar outra consulta fiquei muito apreensiva. Fiquei 3 anos fazendo outra terapia mais focada, mas também sem progresso. Não aguentava mais e acabei desistindo.

Após tudo isso conheci o meu namorado atual em outubro/2013; estava com 47 anos. Estamos há 3 anos e meio juntos e é uma pessoa incrível.

Por fim, em uma das minhas pesquisas conheci a dra. Débora pádua; e após assistir os vídeos dela várias vezes resolvi marcar uma consulta. O primeiro contato foi com a secretária vitória,  linda e doce, a qual me passou todas as coordenadas. E foi lá que após algumas sessões com a dra. Débora e depois com a dra. Daniele moreira, a qual tenho imenso carinho e gratidão, consegui resolver a questão desse tal “vaginismo”.

E finalmente… finalmente consegui ter minha primeira relação e outras várias com o meu namorado. Estamos super felizes porque a cada dia estamos melhores. Demorei um pouco mas valeu muito a pena.

Não desistam nunca dos seus sonhos porque, com certeza, eles se realizarão. E vaginismo tem cura sim, há várias mulheres com essa questão.

Agradeço imensamente a paciência e a dedicação de toda a equipe do consultório que fez parte da minha história, da minha vida. São pessoas super competentes e muito compreensivas… Fazem tudo no tempo certo.

Não tenho palavras do quanto sou grata. Muito obrigada por tudo, de coração. São anjos que deus colocou em nossas vidas!