Mais um caso de sucesso no tratamento do Vaginismo!


Trago para vcs aqui mais um caso de sucesso no tratamento do Vaginismo realizado pela minha equipe.
Dra. Daniele vc arrasou!!! 
Lembrem-se que nunca é tarde para correr atrás da cura!
vaginismo 554
Tenho 32 anos, casada a 5 anos (depois de 8 anos de namoro).Comecei a namorar com o meu atual marido aos 19 anos e ele foi meu primeiro namorado sério, o qual eu tinha decidido ter minha primeira relação sexual, sempre foi bem certinha e careta mas eu queria sim fazer isso. Foram inúmeras as tentativas frustradas. Eu sentia pânico e dor, parecia ter algo anormal. Muitas vezes chorei nas tentativas por não conseguir a tal penetração.
A primeira vez que fui ao ginecologista  foi aos 19 anos e ele me indicou um terapeuta sexual, como não tinha dinheiro na ocasião não procurei tratamento nenhum. E assim se foram oito anos. Onde eu me sentia menos mulher e não podia (por vergonha) conversar sobre este tema com ninguém além do meu namorado.
Todas as minhas amigas achavam que eu tinha uma vida sexual ativa, isso era muito angustiante pra mim.Eu achei que poderia ser coisa da minha cabeça (pelo fato de transar antes de casar) e que casando iria resolver. Antes de casar fui no ginecologista novamente e ouvi da doutora: não case antes de resolver isso!
Sai chorando do consultório.
Iniciei terapia que fiz por um ano e sozinha não adiantou também.
Casei e nada mudou.
Este ano de 2015, prestes a completar 5 anos de casada me senti meio deprimida… Me sentia anormal e isso estava bem complicado de lidar. Em minhas orações pedi uma luz e no outro dia achei o site da Debora Padua, quando pesquisei sobre dores durante relação sexual. Li todos os depoimentos! E chorei lendo cada um deles. Me encontrava em todos (inclusive em um que a pessoa diz que se sentia um ET!!).
Percebi que eu não estava sozinha neste barco e que pra minha alegria, esse problema tinha cura. Mexer neste assunto doía minha alma, mas ao poucos fui criando coragem de ligar… ver os videos e depoimentos foi fundamental para então marcar a primeira consulta!
Passei com a Debora e já de cara me sentia acolhida, muito bom falar com alguém que realmente entende o que estamos passando… sem julgamentos, sem achismos… saber que tenho um diagnóstico e que este tem tratamento, me deixou aliviada. Não consegui agenda com a Debora pois meus horários eram restritos, então fiz minhas sessões com a Dani.  Genteeeee, que honra ter a conhecido, pessoa agradável, alto astral… as sessões mesmo que um pouco doloridas passavam rápido.
Como sou competitiva, me empenhei em fazer todas atividades propostas e queria avançar sempre para a próxima etapa. Nas lições de casa eu me daria nota 6 porque não levei tão a sério, não fui aluna exemplar! rs
Eu ia sair de férias (acho que por volta da oitava sessão) e fui liberada para a primeira tentativa antes da viagem e…. PRONTO! Problema resolvido! agora me sentia completa, casamento completo, um ser humano normal… rs Queria gritar para o mundo!
Foi a melhor coisa que me aconteceu em 2015. Logo veio a viagem, que foi como minha lua de mel!
Depois da primeira vez, ainda fiz algumas sessões e a cada dia a relação sexual  foi melhorando, fomos descobrindo juntos o melhor jeito, as melhores posições e a evolução foi perfeita (na primeira vez não é lá essas coisas e acho que essa é uma dica importante para as que iniciam o tratamento, para não haver frustração com este ato desconhecido ainda…)
Junto com o tratamento, além do fato de fazer sexo vieram outras coisas que o vaginismo me impedia: usar absorvente interno e  fazer exames ginecológicos! Pra muita gente isso é algo simples, mas pra mim era motivo de pânico.
Enfim, na décima terceira sessão (eram previstas 15) tive minha alta.Ciclo concluído! Agora cheia de vida, animo e planos! Inclusive de filhos, que eu achei que NUNCA poderia ter.
Só tenho a agradecer a clinica, e a Dani por toda a dedicação e profissionalismo que atua.Obrigada! Da ex paciente agora curada do vaginismo.