O melhor é resolver os problemas!


problema-637x323

“Resolvi dar o meu depoimento sobre o vaginismo, já faz quatro meses que recebi alta, mas certamente uma das coisas que uma mulher com vaginismo aprende de mais valioso nessa experiência, é que tudo tem o seu tempo.
Tenho 25 anos e desde a adolescência me sentia diferente, como se algo de errado existisse comigo. Não vivi nenhum trauma sexual (uma educação repressora sim, da qual hoje compreendo que pode ter me levado a isso) e por isso não compreendia como simplesmente não conseguia ter uma relação ainda que com bastante desejo. Tremia toda vez que tentava uma penetração, caía em crises de choro que duravam horas, e assim seguia mais uma frustração, mais um trauma, mas um dia sem me sentir verdadeiramente mulher, pois esse é o sentimento.
Tenho um parceiro que honra este título, e que esteve comigo durante seis anos, compreendendo o meu sofrimento, mas sofrendo também por se sentir indesejado diante a minha “recusa”.
No final de 2014 procurei uma ginecologista que me diagnosticou com vaginismo, mas não me encaminhou para nenhum tratamento, apenas sugeriu que eu tentasse aos poucos, coisa que obviamente já não queria mais, pois já havia associado sexo à dor, trauma. Foi assim que pesquisei mais sobre o tema no tão amigo e inconfidente google rs, e encontrei o trabalho da Dra. Débora.
Já na minha primeira consulta me senti bastante acolhida pela Dra, que é realmente incrível no trato com suas pacientes, desde explicar didaticamente tudo o que será feito, e ganhando nossa confiança a cada momento.
Comecei as sessões suando frio, às vezes com um pouco de dor, às vezes desconforto, mas sempre nos limites do meu corpo, e assim fui aos poucos me sentindo vitoriosa a cada visita ao consultório. Ao final do tratamento o sentimento de vitória é incrível, além disso, despedir-se da Dra. é realmente como se despedir de uma amiga, ela é uma fofa.
Hoje tem quatro meses que recebi alta, finalmente me sinto realizada, automaticamente mais confiante, e acabo vendo quanto o problema que me assombrou durantes anos se resolveu com uma facilidade da qual eu não esperava. Vaginismo tem solução sim, o bicho tem muito menos cabeça do que achamos, e muito mais mulheres sofrem com isso sem se abrir até com o médico, como eu mesma fiz durante muito tempo, se eu pudesse dar um conselho pra quem sofre com isso seria justamente esse, o tratamento.